domingo, 24 de abril de 2016

De bonecas, cheiros e saudades




Elas iam em uma caixa de madeira cheiinha de coco, manga, colares de catolé (ainda sinto o cheiro), camisolas de algodão, doce de buriti, rapadura, cajuzinho tudo bem embrulhado por vovô e vovó. Saíam de Juazeiro do Norte (CE) direto para a Vila Ré (SP). Iam por uma transportadora e geralmente chegavam perto do Natal..para nosso fim de ano ficar gostoso...quando não iam com os próprios familiares, tia Rose e tia Elzenir, tio Assis e tia Célia foram portadores dessas encomendas para Almeri Sobreira...As bonecas e seus vestidos coloridos.As bonecas e seu cheiro de algodão cru...As bonecas que ficavam sentadas assistindo as aulas. Alunas de nossa escola imaginária.Uma porta verde era a lousa.Todas obedientes e comportadas!




* foto Restaurante Mangai/João Pessoa - Arquivo pessoal 


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Impressão xilográfica


Não posso acariciar tua pele

Minhas unhas estão sujas de areia e terra

Queria mesmo arranhar teus braços,

Deixar minhas marcas em tuas costas

Tatuando minha sina em teu corpo

Tu dormes esquecida do mundo

Nem lembras que lá fora já lavrei e semeei 

por meses sem fim



Araceli Sobreira 

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Para Christiane - Cancane, para os íntimos...




                 “tempo...tempo...tempo...o que temos entre as mãos?”


                         -Apenas areia preenchendo espaços vazios!


           “tempo...tempo...tempo o que temos diante dos olhos?”

                                 -Apenas miragens movendo no horizonte e

               espantando a calmaria das Palmeiras


         nesses oásis...do deserto da Vida.



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

02 de fevereiro...dia da Rainha do Mar

02 de fevereiro...dia de deixar uma oferenda para o Mar. Como povo da Terra, do Sertão...da Montanha...me encanto com o Mar, com as Sereias, Janaína, Jandiras, Yemanjá, Dandalunda, Alomoas, Yara...e Nossa Senhora dos Navegantes...As Mães dos Mares...que levam as dores nas ondas e trazem amores para os que têm fé nas águas limpas do mar...eu creio e tenho fé nas águas do mar...tão lindas, misteriosas...que levam a Outros Mundos... Já lavei meus pés...já benzi minha alma. A benção, minha mãe, a benção, meu mar...quisera eu navejar sob as águas, sob seus Olhos negros, suas mãos leves, seus Cabelos Longos, em Ondas Soltos...a benção, Mãe Guerreira, Protetora...Nós precisamos de Paz!




 *   *  * 








Imagem: Acervo da Autora