segunda-feira, 1 de dezembro de 2008




Para Marília, Renata e Rosinha...


Com paixão
com o que nos falta:
a vida,
a liberdade,
o corpo,
a língua,
o riso,
o carnaval.


Com paixão
com o que nos une:
o máximo, as paredes, a estrutura.


Com paixão
com o que nos corta:
a escolha, o massacre, a rotina.


Com paixão
com o que nos define:
o bordado, o toque, o sutil
a dor.


Com paixão
com o que nos cega:
a chuva,
a lágrima,
a verdade,


Com paixão
com o que nos divide:
a razão, o medo, a queda, o pecado, os filhos, a costela...



Com paixão
com o que nos eleva:
as flores, a seda, a estrada do bosque...


Com paixão
com o que nos faz ser:
a renda, a cama, o ventre.


Com paixão
com o que nos faz crer:
a palavra, o pão, o milagre.


Com paixão
com o que não nos deixa viver:
o tédio, a ruga, as ruas, o fogão.


Com paixão
com o que nos explode:
a loucura, os monstros, o lobo mau, o tempo e o espelho...


Com paixão
com o que nos vivifica:
o mito, a fé, o sangue.

Com paixão
com o que nos assusta:
a paixão, o esmalte vermelho,
o olhar profundo, expressivo, inesquecível,
o perfil de um Deus grego,
a vida, o riso,
o carnaval, o vinho,
a carne, a ternura e a liberdade...


Coisas que só existem
em almas com muita paixão!


Em 25.03.06

2 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Que bom, Araceli, ver que apesar dos seus muitos afazeres, a poesia continua ligada indissoluvelmente a você. Um abraço afetuoso.

Mulher na Janela disse...

a poesia que apaixona é sempre motivo de leitura. ler sua palavra é um prazer, Araceli!

beijos...

P.S.: não sei se já viu o resultado do BNB, mas infelizmente não conseguimos...snif! fica pra próxima!

beijos de novo.