quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Grande Navegação




Era preciso adotar uma prática totalmente nova para este problema: ou parar e deixar o vento levar a embarcação a lugar algum ou consertá-la, ali mesmo, entre as ondas, a possibilidade de vento forte e tempestade. Nada, porém, o impediria de chegar à ilha das possibilidades, dos sonhos realizados, das conquistas e glória. Foi uma noite infame. Sem fome, nem sede, tampouco descanso. Suave mesmo só o olhar no horizonte quando, agarrado à última tábua, livrava-se das ondas gigantes.





Imagem: Pesquisa Google => podblogchapeu.blogspot.com
Naufrágio (1805) , de William Turner




27 comentários:

BAR DO BARDO disse...

O sertão virou mar... de poesia...

HNETO disse...

Navegar, ainda, é preciso.

Francisco Sobreira disse...

Elogiável, Araceli, a maneira como você, em 8 linhas, consegue revelar o empenho daquela pessoa em alcançar a ilha (a felicidade). E ainda tem Tunner, um pintor que descobri recentemente por via de uma amiga paulista que mora em Fortaleza. Um abraço.

Flauzineide de Moura Machado disse...

Olá pedra preciosa do sertão, gostaria, obrigada pela visita e até breve.

Flauzineide de Moura Machado disse...

Olá pedra preciosa do sertão, obrigada pela visita e até breve.
abraço.
Flauzineide

Gislaine Trindade disse...

Olá querida!!!Passando para agradecer pela visita e pelas palvras carinhosas...estou te seguindooo!DEUS te abençoe!!

Talita Prates disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Talita Prates disse...

"a gente quer ver
horizonte distante!"

teu horizonte te rendeu um lindo texto, Araceli.

Um bjo!

Agradeço tua visita lá no "História..."

Talita

wilson gorj disse...

Belo miniconto. Obrigado pela visita ao Muro. Continuemos nos visitando. W.G.

Pedra do Sertão disse...

Olá, amigos,

Gostei muito dos comentários de vocês, estou me exercitando com os minicontos, novidade em minhas leituras e novos olhares...continuem visitando este enorme sertão à procura de novos mares!

abração

Laura disse...

Navegar é preciso, ainda mais com as chuvas torrenciais de hoje em dia...brincadeirinha, adorei apostagem e te sigo também já que seu blog é maravilhoso.

Até!

Jéssica V. Amâncio disse...

Nossa vida geralmente é assim, não é? uma luta diária pela sobrevivência.
Belo texto.

. María Florencia Murillo . disse...

Araceli, agradeço tua visita lá no "Zumbudrule..." e tão cálidas palavras!. "Pedra do sertão" é maravilhoso!
Você sabe que eu adoro Natal!Ainda não o conheço pessoalmente,
somente por fotos.
Um bjo e até breve!

dinis mota disse...

Olá Araceli!

Obrigado pela tua visita e pelas tuas palavras!

Gostei bastante da atmosfera do teu blog. Muito bom.

Um beijinho de Lisboa
Dinis

Andréia disse...

Adorei seus textos...encantadores!!!:)

fiaris alfabeta disse...

aquí me tienes para agradecer tu visita y comentario,me cuesta un poquito pero leo bastante bien lo que pones,abrazos desde Uruguay

ANTÒNÌO MANUEL disse...

Amiga!

Vim lhe retribuir sua visita:

*****

Texto extraordinario!

Como você descreve:
A bravura e o empenho ao bom porto:

Os meus Parabèns!

Serèi seu seguidor voltarei sempre

Os Meus melhores Comprimentos


Antònìo Manuel

AFRICA EM POESIA disse...

Pedra do Sertão

Recebi a sua mão
recebi carinho
Recebi Amizade.
Éste mundo vale por estes momentos.
beijos

AS MÃOS


Vejo...
A minha mão pequena...
Com cinco dedos...
Pequenitos...
Mas muito úteis...
Olho para eles...
Todos diferentes...
Mas tão iguais...
Grandes...
Médios...
E pequenos...
E aqui...
A beleza...
Da vida...
E eu sinto...
Que nesta diferença...
É que está a união...

LILI LARANJO

Triste Flor disse...

E nosso leme diante das mãos segue o curso da vida, do mar, dos sonhos, que não podemos deixar naufragar... adorei, bjus no coração.

Verónica disse...

¡ Precioso blog ! gracias por tu comentario en mi blog, y por hacerte seguidora. He pasado a saludarte y a hacerme seguidora del tuyo.
Feliz día
Un abrazo

subu.ps disse...

nice painting of the storm. eventhough I could not follow your language.

Maysha disse...

Ola, bom dia para si, gostei do que li, muito bonito este texto. Voltarei para visitá-la, estou a segui-la.
Até breve, fique na paz.
Beijos

Pedra do Sertão disse...

Nossa, os comentários de vocês estão me deixando vaidosa (rss....). Mas é interessante ver até onde nossas pedrinhas estão chegando. É com muito carinho que guardo cada observação e comentário que chegam. São pedras para os meus alicerces. Abraço a todos.

ψ Psimento ψ disse...

E são os que têm a mesma determinação que alcançam os seus objectivos. :)

HNETO disse...

Mas é claro que voce pode utilizar o material que disponibilizo no blog, para mim o que importa são as possibilidades.

lidia disse...

BUENAS TARDES,PASO A AGRADECER EL COMENTARIO DEJADO EN BOHERASE,MUCHISIMAS GRACIAS, E INVITAR A VER MI BLOG
GRACIAS
LIDIA-LA ESCRIBA
http://www.deloquenosehabla.blogspot.com

N. Ferreira disse...

Olá!
Entro pela primeira vez aqui neste seu blog e foi uma surpresa super agradável. Adorei os textos, mas este mexeu comigo. Lembrei das palavras de um monje theravada: se você tiver velas, mas não ouver vento, reme. Mas lembre-se de remar dos dois lados com equilíbrio, para não ficar dando voltas em torno de si mesmo...
Beijos e voltarei :)