domingo, 6 de setembro de 2009

Saciada*




Corri para baixo de


um toco aberto


nesta mata densa.


Trago na boca


restos do sangue lambido


do bicho que engoli


enquanto tinha fome.


Escondo-me. É hora de dormir.


Não tenho medo


de me encontrar


cara-a-cara com o inimigo.


Saciei o ronco dentro de mim.


Guardo o olhar altivo,


arredio, desligado


da noite.


Estratégia de liberdade.








* Ainda pensando em felinos...






** Imagem => Pesquisa Google

5 comentários:

Maria Iracema disse...

Os homens que circudam essas mulheres que pensam como felinos... devem se cuidar ! principalmente quando estas buscam serem saciadas .
Valei-me! misericórdia!acuda -me!
assim mesmo,muito bem ,você conseguiu novamente:apresentou a face da mulher ,agora o extase em peculiar quando disse:- o ronco dentro de mim...

jorge vicente disse...

estratégia de saci pulando de liberdade.

o animal dentro da pele e da pedra, sempre.

grande abraço
jorge vicente

Múcio L Góes disse...

olá, td bem?

muito obrigado pela visita/recepção à minha poesia. =]

se puder, apareça por lá.

vlw, abraço.

Mulher na Janela disse...

Queria Araceli, que felina poesia nos traz, mostrando garras de palavras, como quem sabe das astúcias necessárias à vida...

Linda poesia!

Beijos...

Pedra do Sertão disse...

Olá, pessoal,

vez por outra somos assaltados pela ferocidade, pela falta de ar de quem procura algo...os felinos nem são meus animais preferidos, mas admiro o poder de caça deles... obrigada a todos pelos comentários. abraços,