sábado, 5 de dezembro de 2009

o beijo


único instante

em que a alma

é corpo,

o espírito é preso,

e os olhos não são livres.

(só os pés quase flutuam)
* * *
Imagem: o beijo, de Gustav Klimt (Pesquisa Google imagens)

8 comentários:

nivaldete ferreira disse...

Boa interface... Imagem visual, palavra... Um abraço!

Francisco Sobreira disse...

Araceli,
Eu recebi apenas um e-mail seu, em que comunicava o falecimento da esposa do seu tio. Comunuquei o fato à minha mulher, que a conheceu bem. Foi o único. A minha caixa de e-mail há dias está normalizada e tenho recebido PPS de amigos. Infelizmente, não pude ler o seu poema. O azul sobre o fundo escuro tornou-o ilegível, pelo menos para a minha visão. Um abraço.

jorge vicente disse...

os pés: os dedos quase tocam o céu.

grande abraço
jorge vicente

Pedra do Sertão disse...

Caro Sobreira,

alterei a cor, depois foi que vi que o azul prejudicava em muito a leitura. Obrigada. Abraço grande, Nivaldete e Jorge...visitas agradáveis, sempre...

Jania Souza disse...

Estou flutuando na intensidade desse magnífico e tão completo beijo.
Feliz Natal minha doce poeta com 2010 recheado de muita inspiração para encantar nosso paladar.

Francisco Sobreira disse...

Agora sim, ficou legível. E como gostei! Me agradam demais esses poemas nos quais em poucos versos é dito o essencial. Isso ´não é fácil na escrita, sobretudo na poesia. Um abraço.

Jéssica V. Amâncio disse...

sensível. adorei.

bonecocartunista disse...

Amargo na traição,doce na salvação