terça-feira, 29 de novembro de 2011

Papel de carta




O cheiro de café no quintal
lembra a tia alegre
que amarra uma fita
branca nos longos cabelos!

Os olhos fechados guardam
o cheiro...
na raiz do cabelo a dor
das mãos que apertam o nó!

Feliz a xícara que alivia
a cabeça erguida
na rua acelerada! Uma branca fita balança no ar!







Imagem: Pesquisa Google: http://humordemulher.wordpress.com/sarah-kay-sucesso-nos-anos-80-2/

25 comentários:

Ives disse...

Essa lembranças são do amor, imortal! abraços

Janaina Cruz disse...

O perfume das lembranças invadindo todos os espaços da memória... Eu amei!!!

Pedra do Sertão disse...

Olá, Ives e Janaína,

Todos nós temos um quê de saudosista...de vez em quando sai da alma!

Heat disse...

Que lindoooooo

Tempos q nao passava aqui... espero que tudo esteja indo mto mto bem.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Que belezura, Araceli!

Que imagem tão nítida, neste
poema tão caseiro, tão família...

Um abraço,
da Lúcia

Pedra do Sertão disse...

Heat e Lúcia,

A gente guarda tanta coisa na memória, uma hora sai...e penso que o fazer cotidiano, muitas vezes é tão poético em suas "pequenas imagens".

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Um aroma despertando as mais caras lembranças, aquelas que guardamos em frascos de cristal para o resto da vida. Gostei demais, Araceli.

Pedra do Sertão disse...

Que bom, Marcelo, que tenha gostado...seu comentário também trouxe uma imagem interessante. Guardamos tantas lembranças e, de repente, uma leve perfume nos leva a imagens, passados.

Abraço

Iara Maria Carvalho disse...

doce. e (e)terno.

beijosss

Pedra do Sertão disse...

Oi, Iara,

Que bom vê-la no Pedra! Volte mais!

Abraço

jorge vicente disse...

um dos seus melhores poemas, amiga :)

muitos abraços meus
jorge vicente

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Hoje minha visita é para agradecer
o presente que é para mim
a sua amizade,
e também desejar
um maravilhoso Natal,
onde possas encontrar nestes dias
ainda mais inspiração
para a alegria de ser feliz,
e para o milagre de fazer
quem passa por tua vida feliz.

Que o teu olhar seja a mais perfeita
luz do Natal a enfeitar o mundo.

Esoj.Otrebor disse...

Belíssima poesia, descrição bem interiorana, me veio a lembrança de: Casa de Sertão", faz tempo que escrevi lembras? Mas uma xicara de café bem quentinho e feito com carinho, ninguém dispensa. Parabéns
tenho novas postagens. Nunca mais tinhas postado algo. Gosto de ler teus poemas. Boa noite. Que o Mestre Jesus te cubra de benções, Paz, luz, harmonia e saude.

Marilu disse...

Querida amiga,

É Natal...
Um momento doce e cheio de significado para toda a nossa vida...
É tempo de repensar valores,de ponderar sobre a vida, e tudo que nos cerca.
É o momento de deixar nascer essa criança pura, inocente e cheia de esperanças que mora dentro do nosso coração para termos um mundo com muito mais Amor e Paz!!!
Desejo a você e toda a sua família um Natal abençoado e cheio de alegria.
FELIZ NATAL!!!!!

Beijocas de luz e paz...

Pedra do Sertão disse...

Olá, Jorge, Esoj.Otrebor e Marilu...

Feliz Natal a vocês e a todos os que visitam e comentam o Pedra do Sertão. Aproveitem bem esse tempo de renovação da vida e da esperança!

Abraço,

Esoj.Otrebor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Esoj.Otrebor disse...

O Ano Novo deveria ser uma festa de glórias, luz e harmonia, para que assim podessemos sentir que: Aquilo que na vida tem sentido, mesmo sendo qualquer coisa de mínimo, prima sobre algo de grande, e esse algo grandioso com certeza é a vinda do Cristo Salvador. E todas as religiões esperam e até profetizam sua volta sem ao menos verificar as escrituras, pois nem mesmo o Cristo sabe, somente o Pai. Enquanto esperamos sua vinda, devemos nos lapidar para podermos sobreviver a espera nessa grande seara de grandes evoluções.
O Tempo não para, o Homem evolui lentamente e assim prossegue o ciclo na espera de grandes evoluções; desde que o homem cresça e apareça.
Isto é, que siga sua história, não somente tente rever no livro das memórias
aquilo que simplesmente é uma doce loucura.Professora Araceli, isso é um breve apelo
para que possamos: Elogiar a Loucura como os grandes filósofos o fazem na
busca incessante do cognitivo. Não quero ser piegas, só apenas um homem quesimplesmenta PENSA.kkkkkkkkk FELIZ ANO NOVO!

Um tanto quanto atrasado mais é de coração! Para você e toda a família.
Olha tem duas novas postagens no meu blog.

Eliana Mora [El] disse...

Gosto das imagens, de um certo tom 'cheiroso' das lembranças.

Belo [e claro] poema.


beijos da El

Orvalho do Céu disse...

Olá,
Senti o cheirinho do cafe... segurei a xícara e tomei um cafezinho com vcs... Obrigado, viu???
Abraços fraternos de paz e alegrai

Lianeide' disse...

Lindo poema...

Me lembrou tanta coisa linda...
Me bateu uma saudade de acordar cedinho, no sítio da minha tia, e vê-la fazer café: o mais cheiroso que já pude degustar!

*-*

Cristiano Ferronato disse...

Passando aqui para retribuir a visita e encontrei essas lindas palavras. Parabens

MARILENE disse...

Essa saudade não dói. São lembranças que não desejamos apagar.

Bjs.

Bárbara Lia disse...

belas imagens! um abraço e tudo de bom, bjs

Beckovski disse...

Fez-me lembrar um haicai de um amigo, este cheiro de café, mas não o tenho aqui agora.

Li o texto do Calvino que sugeriu, realmente, a contemplação diante ao mar é similar, mas ao contrário do Senhor Palomar, o mar me traz calma... como disse, as ondas se apresentam de modo diferente a cada um de nós.

Forte abraço!

Ser tão Pedra
pra lapidar!

Francisco Coimbra disse...

VERSO DAS PALAVRAS

gosto das palavras
quando param
e seguem

por um caminho
diferente

fazendo seu verso!
Assim